• Daniela Calmon

3 Dicas Financeiras para Profissionais Autônomos


Ser um profissional autônomo tem inúmeros benefícios para a sua vida, tanto pessoal, como profissional. No entanto, existem grandes desafios, dentre eles podemos dizer que a organização financeira é um dos maiores. O fato de você não possuir um salário fixo, férias e 13º salário não significa que você nunca irá conseguir organizar as suas finanças. Muito pelo contrário, você precisa ter mais organização do que aqueles que possuem um salário fixo todo mês.


A solução para este problema é um bom planejamento financeiro, onde você irá controlar todos os seus gastos, receitas, e seus objetivos e planos.


Para deixar este processo mais fácil, trouxe 3 dicas para que você possa começar a se organizar ainda este mês. Acompanhe as dicas abaixo:


1) Separe as finanças pessoais e profissionais

O primeiro passo e um dos mais importantes, é saber separar as suas finanças entre pessoais e profissionais. Não adianta você querer se organizar financeiramente, se suas finanças estão juntas e misturadas: tudo o que você recebe do seu trabalho é considerado como salário, e você mistura seus gastos.


Este hábito, da maioria dos profissionais autônomos, é muito prejudicial, pois você não consegue discernir quanto são suas despesas pessoais e profissionais.


Para melhorar essa separação o ideal é que você utilize contas bancárias diferentes. Mesmo que você não possua um CNPJ, é importante e necessário separar suas finanças dessa maneira.


2) Calcule as suas despesas essenciais pessoais e profissionais

Aqui você precisa se sentar e analisar em uma planilha ou caderno os seus custos fixos tanto do seu trabalho, como de casa. Alguns exemplos: internet, aluguel, condomínio, telefone etc.


Determinando essas despesas você já irá saber qual o valor que você precisa separar mensalmente para o seu trabalho, para que consiga pagar as contas; e da mesma forma, saberá quanto a sua empresa te dará de “salário” para que suas contas pessoais sejam pagas.


Para você ter um aproveitamento ainda maior, desta etapa, você poderá, ainda, fazer o exercício de cortar alguns gastos e diminuir outros, para que o seu custo mensal diminua, melhorando assim o seu fluxo de caixa mensal.


3) Tenha uma Reserva de Emergência Profissional

Para que a gente possa chegar no terceiro passo, o segundo é essencial. Aqui você irá pegar o valor que você tem de despesas essenciais em sua empresa/consultório, e irá calcular aproximadamente 8 meses desse volume. Por exemplo: caso as suas despesas essenciais profissionais sejam R$ 10 mil por mês, você precisará ter uma reserva de R$ 80 mil (R$ 10.000 * 8 meses).


Esse valor calculado será o volume que você precisa ter em sua reserva de emergência, e o qual irá utilizar para cobrir gastos inesperados e emergenciais, como alguma reforma, compra de equipamentos, ou o pagamento de alguma indenização etc.


E por fim, você precisará investir esse valor em algum ativo que tenha um baixo risco e uma alta liquidez. Não se cobre para formar sua reserva com rapidez, mas foque em fazer aportes constantes até que você já tenha a formado.


Que tal você começar a colocar em prática pelo menos uma dessas 3 dicas?



Por Daniela Santos Calmon, graduada em Ciências Contábeis, e Mestranda em finanças, pela FUCAPE. Atuou em Planejamento Financeiro Empresarial em uma grande empresa nacional e hoje atua como Planejadora Financeira Pessoal, com experiências em profissionais autônomos, e organização orçamentária.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo